Carreira estável ou experiências variadas?

Se tem um assunto que me dá nó na cabeça e rende pano pra manga toda vez que entra na roda, é esse. Quando penso sobre ele, vem sempre à minha mente, a seguinte dúvida: por qual caminho seguir?

Temos duas opções:

Primeiro: um caminho onde se procura o reconhecimento profissional, se doa, trabalha muito e busca um lugar ao sol dentro de uma única empresa, ou poucas ao longo da vida.

Segundo: adquirir experiências variadas em diversas empresas, aprendendo seus métodos, técnicas e se inserindo naquela cultura, mas sempre sabendo, que o seu tempo ali, tem prazo de vencimento.

Dúvida cruel.

Na época de nossos pais, com certeza, a primeira opção seria a mais viável e possivelmente, foi a que eles optaram (minha mãe mesmo, está há 10 anos na mesma empresa). Porém, nossa geração é mais inquieta, busca sempre mais e quer sempre as coisas na hora. Já falei aqui sobre a “Geração Y” e não pretendo voltar agora.

Encaro como carreira, aquilo que se inicia logo após a formatura. Estágios durante a faculdade, ao meu ver, quanto mais, melhor. Só assim a gente sabe o terreno que está pisando e as possibilidades de sua profissão.

Se for ver, minha carreira começou mesmo em Janeiro de 2011, assim que me graduei e me tornei um Publicitário Júnior. Até esse momento, os diversos estágios que fiz, contribuiram pra que eu pudesse escolher melhor o rumo que quero pra minha vida.

Pensando nesse assunto, bolei uma pesquisinha e divulguei na interwebs. Não tive uma grande aceitação da galera, mas tá valendo. Vamos aos resultados.

As opinões são diversas. Tem gente que acredita que uma carreira estável em uma empresa é muito mais válida, pois demonstra a determinação do profissional em vencer desafios. Outros acreditam que experiências variadas no início da carreira ajudam o profissional a se decidir melhor sobre qual caminho seguir na profissão.

Alguns preferem experiências variadas pois permite maior conhecimento de métodos e técnicas de trabalhos, já outros acham que esse tipo de opção demonstra o quanto o profissional em questão é indeciso e inconstante, não conseguindo ficar “parado” em nenhum emprego.

Uma resposta que me chamou bastante atenção, diz que, no Brasil, as empresas encaram uma pessoa com diversas empresas no currículo como um profissional fraco, instável e que não se adapta e que a carreira estável não deve ser confundida com acomodação, pois existem empresas que prezam pelo plano de carreira, onde é possível passar 10, 12 anos, trocando de função e crescendo constantemente.

Outra resposta interessante, diz que, experiências variadas são bem vistas entre os profissionais e até entre as empresas, porém a remuneração nunca é equiparada a experiência, pois um profissional novo, tende a ganhar menos do que um outro com anos de casa. Ficar trocando de empresa significa ter sempre um salário baixo, se manter e procurar crescer nela significa salário maior.

Pra finalizar, um pesquisado disse que o ideal são experiência variadas, divididas em ciclos de 4 anos, sendo 1 ano pra aprender, 2 anos pra aplicar e 1 ano pra consolidar e mostrar pro mercado o trabalho feito. Depois disso, você pode buscar novos horizontes de atuação, sempre com um nível maior de envolvimento e aprendizado.

Mesmo depois dessas diversas respostas, eu ainda não conseguir definir um ponto de vista. Dentre todos, eu fico com a último, o ciclo de 4 anos (não de 4 anos, pode ser de 2 e 1/2, 3 anos).

E você, o que acha? Comente aí.

Etiquetado , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: